O futuro das ferrovias no Brasil – DNIT

O futuro das ferrovias no Brasil – DNIT

Nós do Site Pelo Trilho transcreveremos nesse artigo, a visão do DNIT, sobre o futuro das ferrovias no Brasil, pela ótica de seus diretores, confira.

Se tem uma coisa que a gente sempre via naqueles filmes antigos era trem, aquelas estações bonitas cheias de gente, o povo chique e arrumado.

Aqui no Brasil inclusive era um dos principais meios de transporte de escoamento da produção agrícola na época.

Mas vamos do começo. A malha ferroviária brasileira começou a ser implantada em 1854 com a construção da Estrada de Ferro Mauá no Rio de Janeiro.

A Rede Ferroviária Federal foi criada em
1957, operou até 1999, quando foi extinta,
e sua malha foi passada as mãos de empresas privadas.

Já em 2001, quando o DNIT foi criado,
herdou todo patrimônio dessa estatal.

O Futuro das Ferrovias no Brasil

O futuro das ferrovias no Brasil

A gente tem a atribuição de destinar os
bens que hoje não são mais utilizados
pelas concessionárias ferroviárias.

As locomotivas e os materiais rodantes,
como carros de passageiros, eles estão
destinados principalmente para unidades de preservação ferroviárias, para projetos
turísticos e projeto de trem passageiros.

A gente tem como missão também destinar o passivo ferroviário que o DENIT recebeu como herança.

Então a gente tem na malha ferroviária
inteira uma série de bens que estão
abandonados.

Isso porque porque o DENIT, ele recebeu esta herança o que já foi a maior empresa do Brasil, que foi a Rede Ferroviária Federal.

Então essa missão era uma missão muito importante.” Disse, Ariston Ayres Rodrigues, Coordenador Geral do Patrimônio Ferroviário.

Responsabilidades do DNIT

O DNIT também é responsável pelas obras destinados a solucionar conflitos entre ferrovias e vias urbanas.

Tem inúmeros relatos no país de casos de pessoas que precisam chegar do outro lado da linha férrea dentro de uma cidade, no centro urbano por exemplo.

E elas não conseguem chegar a esse outro lado seja para o trabalho, seja pro lazer, seja para fazer suas compras, enfim, qualquer necessidade pessoal, muitas vezes até casos emergenciais.

A pessoa dentro de uma ambulância, ela não consegue chegar ao Hospital e é exatamente nesse ponto que o DNIT trabalha.

O DNIT tenta eliminar esses conflitos no país, melhorando essa mobilidade urbana e trazendo mais conforto para o cidadão
que precisa conviver diariamente com as
operações ferroviárias no país.

Isso melhora a qualidade de vida dessas
pessoas.” Concluiu, Ariston Ayres Rodrigues, Coordenador Geral do Patrimônio Ferroviário.

Atualmente o trabalho do DNIT na parte ferroviária foi mais especificamente na eliminação de conflitos urbanos.

Estamos em fase de evolução e a expectativa agora é que agregue cada vez
mais o trabalho ferroviário para o DNIT.

O DNIT está se adequando para
receber esses desafios maiores do termo
de ferrovia.

É uma satisfação muito
grande, é um prazer tremendo para gente
ver a obra concluída.

Para nós que trabalhamos com engenharia, a maior satisfação é ver a conclusão de uma obra e a entrega dela para a sociedade.” Disse, General Santos Filho, Diretor-Geral do DNIT.

Sobre o futuro:

O governo federal assinou formalmente mais cinco convênios de filiação com 15 entidades privadas que cobrirão 100% dos projetos com recursos próprios.

Quando implementada, a malha contará com cerca de 10.000 quilômetros de novos trilhos à rede ferroviária do país.

O total de contratos firmados entre o governo federal e a iniciativa privada para a implantação de novas ferrovias no país subiu para 27 no regime de autorização previsto no Marco Legal Ferroviário.

O montante total de recursos privados previstos para a implementação do projeto é de R$ 133,24 bilhões.

Quando estiver pronta, as novas ferrovias deverão adicionar 9.922,5 quilômetros de novos trilhos à malha ferroviária.

Os projetos abrangem 15 unidades da federação, com início e término nos estados do Pará, Bahia, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Espírito Santo, Minas Gilas, Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina.

O DNIT é assim, ele existe e trabalha há 20 anos para melhorar a segurança e a qualidade de vida dos brasileiros.

DNIT abrindo caminhos, ligando pessoas,
conectando o Brasil.

Fonte: DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte )

Saiba Mais: Como se tornar um maquinista de trem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.