O Assalto ao Trem Pagador

O Assalto ao Trem Pagador: Você conhece essa história real que abalou Londres na metade do século 20? Nós do Site Pelo Trilho vamos te contar tudo, confira!

Há 59 anos atrás aconteceu um dos crimes mais comentados no mundo, o assalto ao trem pagador no Reino Unido.

Ficou conhecido como roubo do século 20.
Em 2013 o então correspondente Roberto kovalick da Rede Globo entrou em contato com um dos assaltantes, Ronald Biggs.

Ronald Biggs
Ronald Biggs

Você que é jovem provavelmente não sabe mas, Ronald Biggs viveu no Brasil durante 30
anos para escapar da cadeia, só depois retornou a Londres, onde faleceu em uma casa de repouso.

Ronald Biggs na época da reportagem ao corresponde da Rede Globo, já andava de cadeira de rodas e não conseguia falar, devido as sequelas de sete derrames.

Ainda assim era uma “celebridade” há época,
os 50 anos do crime do século 20, como ficou conhecido, foram lembrados no cemitério de londres onde foram depositadas as cinzas do chefe da quadrilha Bruce Reynolds, morto no
começo do ano de 2013.

O Assalto ao Trem Pagador

O assalto ao trem pagador

Os assaltantes eram membros de duas gangues famosas em Londres: a South West, e a South East.

O assalto foi totalmente organizado por Bruce Reynolds e Ronald Biggs, que se conheceram na prisão alguns anos antes.

No dia 8 de agosto de 1963 dezessete assaltantes interceptaram um trem que ia de Glasgow na Escócia para Londres levando uma enorme quantia de dinheiro vivo.

Eles roubaram cerca de 2,6 milhões de libras esterlinas, o equivalente hoje, mais ou menos a 165 milhões de reais.

Faziam parte da quadrilha também:

Bill Boal, engenheiro;

Bobby Welch, dono de uma boate;

Brian Field, advogado, responsável pela compra da fazenda Leatherslade, usada como esconderijo;

Charles Wilson, atuou como tesoureiro. Tinha a tarefa de dividir o dinheiro roubado entre os integrantes do bando;

Gordon Goody, cabeleireiro;

James Hussey, decorador;

James White, ex paraquedista;

John Wheater, advogado, atuou em prol da quadrilha;

Roger Cordrey, florista;

Ronald Edwards, ex-pugilista, dono de um clube;

Roy James, ex-piloto de corrida e ourives;

Tommy Wisbey, apostador profissional.

Quase todos foram presos, mas as fugas espetaculares de alguns dos assaltantes tornaram o caso ainda mais popular entre os britânicos.

Ronald Biggs fugiu para o Rio de Janeiro
e se tornou o mais famoso dos bandidos durante 30 anos.

A Grã Bretanha exigiu a volta dele, mas como
não tinha tratado de extradição com o Brasil, o assaltante permaneceu no país.

Em 1993, estando ainda no país, foi perguntado a ele se ele estava disposto a se entregar:

A entrevista

“Não pretende sair do Brasil, indagou o repórter: De jeito nenhum, disse Biggs; O senhor irá permanecer no Brasil então, reforçou o repórter: Se Deus quiser, responde Biggs sorrindo.”

Mas ele acabou voltando para Londres por causa dos problemas de saúde, ficou oito anos na cadeia e depois foi solto.

Por coincidência o dia do assalto ao trem pagador é o aniversário de Ronald Biggs, e a época ainda tinha  um sonho, o sonho de voltar para o Brasil.

“O mundo inteiro conhece o mito do trem pagador, por mais que tenha sido algo errado o que eles fizeram, porém agora é parte da história mundial” disse Mike Biggs, filho do famoso assaltante.

A polícia também não esquece do crime, e divulgou em uma rede social os acontecimentos daquele dia minuto a minuto.

Já foram feitos quatro filmes, 27 livros sobre o assalto, há quem diga com toda razão que o crime não compensa, já a fama, parece que Biggs gostava.

E aí, você conhecia essa história?

Saiba Mais: Curso Operador Ferroviário

Saiba Mais: Como se Tornar Maquinista de Trem

Sua opinião é muito importante para nós: Deixe um comentário, sugestão ou uma reclamação logo abaixo.

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.