Como Funciona Uma Maria Fumaça, Confira.

Como funciona uma Maria fumaça?

Com certeza você já fez essa pergunta não é mesmo.

Aqui iremos detalhar para você o sistema adotado para o funcionamento de uma locomotiva à vapor, disto isto, confira agora mesmo.

Uma locomotiva a vapor é uma locomotiva movida a um motor a vapor.

Basicamente ela consiste em três partes principais, sendo composta assim: uma caldeira, que produz combustível para gerar vapor,

maquinário térmico, que converte a energia do vapor em trabalho mecânico e carroçaria, que suporta todo o equipamento.

Como funciona uma Maria fumaça

Como Funciona Uma Maria Fumaça

Após o aquecimento, a água torna-se um gás transparente sendo denominado como vapor.

Quando a água se transforma em vapor dentro da caldeira, o volume de água se expande, criando assim uma alta pressão.

A expansão do vapor empurra os pistões conectados às rodas motrizes da locomotiva em operação.

Para se aquecer a água usa-se o carvão, em alguns casos podem ser usado um tipo específico de óleo.

O tanque de armazenamento da locomotiva é carregado com o carvão, sendo assim, manualmente empurrado para dentro da fornalha pelos operários.

Transportando-se a água para o tanque de água ao redor do carvão.

A água entra na locomotiva por meio de um dispositivo conhecido com injetor.

Assim o carvão é espalhado de uma maneira uniforme dentro de uma fornalha, onde os operários criam uma grande labareda acima da grelha.

O ar sobe por essas grelhas, fazendo com que o carvão queime muito mais quente.

O gás quente liberado do carvão vai direto para a frente da locomotiva,

assim sendo transportado por meio de uma série de tubos, resistentes a altas temperaturas.

Água fervida envolve o exterior da fornalha. O calor provido do carvão em brasa transforma a água em vapor, que por sua vez, sobe e chega ao topo da caldeira.

A área em volta da fornalha e dos tubos, é o que chamamos de “gerador de vapor” da locomotiva.

Maria fumaça como funciona

O Papel do Vapor

Com o vapor acumulando – se no ponto mais alto da caldeira, ou seja na cúpula da caldeira,

o maquinista usa um acelerador ajustando assim a quantidade de vapor que é enviada para o pistão da máquina.

A alavanca do acelerador na cabine abre e fecha o acelerador na válvula de vapor ajustando a quantidade correta de vapor a ser liberada.

O vapor vai para uma válvula de pistão que controla a entrada do cilindro.

Uma vez dentro do pistão, o vapor se expande e empurra na direção oposta.

No final do curso do pistão, a porta de escape se abre, permitindo que o vapor escape.

Então, o processo é revertido e repetido na direção oposta permitindo que o vapor seja

gerado em ambos os lados do pistão para que esteja sempre energizado.

A alavanca na cabine permite que o maquinista controle o movimento da válvula de pistão (a velocidade e a direção da locomotiva).

O pistão empurra ou puxa a haste conectada às rodas motrizes da locomotiva, fornecendo assim a força necessária para que o comboio ande e ganhe velocidade.

O vapor é descarregado do bocal e sobe até a chaminé através da “caixa de fumaça”.

Funcionamento da Maria Fumaça

Quando a locomotiva está se movendo, essa ação produzirá um famoso som “tic tac tic tac, piuí” da Maria Fumaça.

O resultado fabricado por tudo isso, é uma corrente de ar ou vácuo,

que puxa o ar através das grades da fornalha que introduzindo assim a combustão de carvão.

Tanto o vapor exaurido quanto a fumaça de carvão sobem pela chaminé, fazendo assim sair uma quantidade enorme de fumaça,

a partir disso que no Brasil as locomotivas a vapor ficaram popularmente conhecidas como Maria Fumaça.

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *